quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Verdadeiramente

Janelas fechadas, janelas abertas, eternamente jovens apaixonados

O link que não conseguiste abrir...
http://www.youtube.com/watch?v=bgoqv9Etq2I&feature=PlayList&p=BF7E8C387790A48D
haja o que houver
eu estou aqui
haja o que houver
espero por ti
volta no vento
ó meu amor
volta depressa
por favor
há quanto tempo
já esqueci
porque fiquei
longe de ti
cada momento
é pior
volta no vento
por favor
eu sei, eu sei
quem és para mim
haja o que houver
espero por ti
Leio as tuas palavras...elas marcaram fortemente o meu coração.
Recordo o dia.
Mas recordo outras músicas, sei o momento exacto e o local em que te cantei Roberto Carlos e o que vi nos teus olhos.
Vi no teu rosto que para ti a minha voz era a do Sinatra, a do Fred Astaire, a da Maria Bethânia, estavas apaixonada da mesma maneira que estavas a semana passada...
Penso nesse dia, e sei que sim, que te amava muito.
E tento entender como é possível que eu tenha sido tão criança, não só contigo...que o tenha sido comigo também.
Tu é que eras mais nova, mas o imaturo era eu. A vida a ti, já te tinha ensinado muito mais que a canção do bandido. A mim, a vida dizia que eu era imortal, que a juventude seria eterna e que eu nunca mais sofreria por amor.
Depois desse dia amei-te verdadeiramente milhares de vezes, talvez não o tenha demonstrado. Amei-te nas palavras amargas que me davas, amei-te quando te vi no altar com outro, amei-te quando soube que vocês se namoravam, amei-te sempre que entravas na sala onde eu estava, amei-te quando foste mãe, amei-te sempre que vi o brilho no teu olhar...e esse brilho nunca o perdeste.
Amei-te verdadeiramente hoje, quando evitei o teu olhar dezenas de vezes, em algumas não o consegui evitar. Não queria que outros vissem em nós o desejo que temos de partilhar algo tão precioso, como é aquele que embalamos nos nossos braços. Evitei os teus olhos quando o segurava nervosamente em meus braços, evitaste os meus quando o seguravas também.
Muitas vezes queria te dar palavras que te ajudem a afastar de mim. Nunca desejaria que não me amasses, mas que não seja penoso pensar em mim, em nós.
Odeio a sensação de que sofres bastante com o nosso amor, eu não o desejo, eu não quero a tua dor.
Quero que ames, não quero as tuas lágrimas. Já bastam as minhas, as que derramo no chuveiro, as que trago em mim e que não deixo ver a luz do dia.
Terei que te deixar partir, viver a tua vida, a consequência dos meus actos. Um dia terei de deixar de te escrever, guardarei os sentimentos na nossa casa e chegará o dia em que ela será aberta para nós.
Um dia virás ao encontro do nosso amor, sem pressões, sem guerras de consciência, sem traições e o nossa vida será bela, como é o nosso amor.
A ideia de que talvez não tenhamos tempo para ter uma criança fruto do nosso amor fustiga o meu coração, a ideia de que por minha causa não possas ter outro bebé castiga demasiado a minha consciência. Não posso permitir que por mim percas os teus sonhos.
E eu ficarei feliz ao ver-te com outra criança nos braços, e podes ficar ciente que nesse dia também te amarei verdadeiramente.
Haja o que houver, eu estou aqui!
Haja o que houver, eu espero por ti!
Nunca me deixes sem as tuas palavras
Para ti, com todo o meu amor
Sempre teu
Eternamente apaixonado por ti

2 comentários:

a nossa casa disse...

http://www.youtube.com/watch?v=UFaRD-m7qL4&NR=1

Marisa monte e roberto carlos
Amor i love you

Deixa eu dizer que te amo
Deixa eu pensar em você
Isso me acalma, me acolhe a alma
Isso me ajuda a viver...


Já te dediquei uma vez esta música, mas não posso deixar de o fazer outra vez...Amo-te muito
Talvez demasiado...


É o espelho sem razão
Quer amor, fique aqui
Meu peito agora dispara
Vivo em constante alegria
É o amor que está aqui

jacker disse...

chloe bags
chloe handbag
chloe handbags
chloe paddington bags
chloe paddington bag